SHARE
TWEET

Untitled

a guest Nov 19th, 2019 77 Never
Not a member of Pastebin yet? Sign Up, it unlocks many cool features!
  1. OOC.
  2.  
  3. oi meu nome é salem, sou mocinha e tenho 21 anos e apenas trigger com imagens de palhaços e baratas.
  4. IC.
  5.  
  6. * ╰ olha só quem temos aqui se não é JEON AHRI!! ouvi dizer que ela se denomina A LION e acho que é viável dizer porque ela é muito EDUCADA && DEDICADA, como também DISTANTE && TEMEROSA. mesmo após 3 MESES, sabendo que ela tem 23 ANOS e que é DONA DE UM BISTRÔ E CHEF, ainda preciso olhar duas vezes para não confundi-la com HYOJONG devido suas grandes semelhanças!
  7.  
  8.  
  9. uma criança nunca deveria passar por todo o estresse que pietra havia passado em seus primeiros anos de vida. parecia que estava destinado a ser enganado, deixado para trás e usado como um ping-pong. Sua primeira mãe, jiwoo, não poderia aceitar cuidar de uma criança enquanto ainda terminava seus estudos e começava a aproveitar sua vida longe do país em que passou toda sua vida, estava dispostas a aventuras, mas apenas aquelas que envolviam ela e ela mesma. seu pai? o pobre italiano mal sabia da existência da filha, visto que havia conhecido a coreana em uma noite de turismo por roma. pensou bastante no que faria com aquela criança em seu ventre, se a abortaria, se a mandaria para seus pais, se a deixaria na porta de alguém, mas a escolha final veio quando procurou o preço do aborto e encontrou no lugar da morte daquele pequeno grãozinho, uma maneira de não ficar com ela e ainda conseguir algum dinheiro. pietra foi vendido, ilegalmente “adotada” por um casal que sofria com a falta de fertilidade e que tinha prata o bastante para agradar a moça coreana.
  10.  
  11. pietra passou a viver com a nova família italiana desde seus primeiros dias de vida. ao crescer, foi percebendo que não era filha de sangue de seus pais, mas acreditava piamente que havia sido deixada na casa deles por uma garça, como contavam todas as vezes que ela questionava porque sua aparência era tão diferente da deles. era uma vida confortável, um lar que não faltava carinho e atenção e a jovenzinha crescia sem qualquer motivo para no futuro ter alguma reclamação. mas tudo era bom demais para ser verdade, mesmo que para os seus pais, que acharam que os planos resultariam em uma vida longa e feliz com a filha clandestina deles.
  12.  
  13. ao chegar aos cinco anos de idade, a mãe biológica reapareceu na porta dos guerrieri, arrependida de tê-la vendido e querendo sua filha de volta mesmo contra a vontade da própria pequena, que de nada entendia e só queria ficar com sua família. quase todos os dias jiwoo aparecia na escolinha de pietra ou na própria casa dos guerrieri, tentando de um jeito ou de outro pegá-la de volta. cansados daquele distúrbio e do estresse que estava causando a criança, o pai da menina deu seu próprio jeito de se livrar de jiwoo, mas foi pego pela polícia um tempo depois. marco foi preso, viola foi proibida de ficar com a guarda de pietra e a pobre menina nada mais pôde fazer além de chorar ao ser tirada de sua família e levada pela assistência social.
  14.  
  15. como era nascida na Itália e não existia nenhum documento oficial que pudesse permitir a família de jiwoo de pegar sua guarda, pietra passou a viver em um orfanato, completamente confusa. sentia-se abandonada e acabou se tornando uma criança reclusa, o que não chamava a atenção das diversas famílias que entravam ali procurando as crianças perfeitas. os jeon apareceram alguns meses depois, se sensibilizando com a história daquela criança - e acima disso, sabiam os admirariam por sua tamanha bondade.
  16.  
  17. pietra ganhou um nome coreano, mudou-se para a coreia e pela primeira vez conheceu o país que de certa forma, era sua origem. a primeiro filha dos jeon então passou a crescer aprendendo sobre os valores da família, de deus e de sua religião. ahri não se tornou uma grande fiel, por mais que realmente acreditasse em deus e rezasse com todo seu coração todas as noites; tudo o que falavam na igreja e que saia da boca de seus pais pareciam falsos demais para que ouvisse realmente ou absorvesse. nunca lhes deu problemas no entanto. nunca reclamou, nunca negou nada, mas também nunca concordou. ahri sempre estava neutra, mantendo um sorriso simpático e ajudando como podia na igreja, mas nunca parou para impor o que realmente acreditava.
  18.  
  19. sua frequência passou a decair na igreja e nos eventos de seus pais no entanto quando estava perto de completar seus 17 anos, devido a uma grande discussão dentro de casa. a jovem havia feito algo abominável para seus pais, havia perdido a sua castidade antes de se casar e para piorar, engravidado de um garoto de sua idade. ahri queria assumir a criança, prometendo ser uma boa mãe, mesmo que nem tivesse idade para isso, mas seus pais intervieram, proibindo que aquilo fosse a público, afinal, ter uma filha impura como ela não era algo aceitável. pela primeira vez a jovem se impôs, criando um trato com seus pais. em sigilo, os jeon e a família do garoto assinaram um contrato: a guarda era da família do garoto, ahri podia ver o filho duas vezes por semana, mas em hipótese alguma podia revelar que era seu. para guardar o segredo, os jeon diziam que o menininho é primo deles.
  20.  
  21. ahri se formou em gastronomia e fez algumas especializações depois, finalmente abrindo no começo do ano de 2019 o bistrô dela em uma área bem sucedida de seoul. pelo lugar ter sido aberto com o dinheiro dos pais, a mulher se sentiu na obrigação de seguir as ordens deles, voltando a participar dos eventos e frequentar a igreja mais vezes, mas planejava com o negócio conseguir dinheiro o suficiente para não depender mais dos jeon.
  22.  
  23. foram anos para ahri encontrar uma brecha no contrato para que pudesse ter a guarda do filho e poder devidamente assumi-lo, já que sabia que o pai do menino não tem condições psicológicas de mantê-lo e muito menos vontade. foi após muita luta e uma dívida quitada com seus pais para conseguir a guarda de seu filho, mas diferente do que ela pensava, não tinha acabado por ali. o bistrô era seu, mas a casa não. ahri foi expulsa com o filho de casa, recebendo de seus pais um único pedido: “nunca diga que somos seus pais.”, por mais que precisasse frequentemente visita-los para verem o neto.
  24.  
  25. apesar de receber bem com o bistrô, ahri decidiu que queria recomeçar, vivendo o mais longe possível daquele ambiente de pessoas ricas e poderosas demais para terem um coração. o complexo paradise foi sua escolha, já que sabia que o pai do menino morava por ali. talvez ele nunca ajudasse ou fosse se importar, mas se sentia na obrigação de manter o garoto por perto do progenitor e caso precisasse de algo, torcia por sua bondade.
  26.  
  27. ahri desconfia bem mais do que fala quanto aos acontecimentos no lugar, vantagens de ter diversos contatos e conhecer a maioria dos poderosos que ali são suspeitos. não tem nenhuma prova, nada concreto, apenas os boatos que lhe contam e a experiência com pessoas tão desonestas. ainda assim, ela prefere evitar brigas para a proteção de seu filho.
RAW Paste Data
We use cookies for various purposes including analytics. By continuing to use Pastebin, you agree to our use of cookies as described in the Cookies Policy. OK, I Understand
Not a member of Pastebin yet?
Sign Up, it unlocks many cool features!
 
Top