SHARE
TWEET

𝕔𝕣𝕪 𝕓𝕒𝕓𝕪 — moon jaehwan.

chrrysbmb May 21st, 2019 (edited) 95 Never
Not a member of Pastebin yet? Sign Up, it unlocks many cool features!
  1. ——— [OOC]
  2. nome/apelido - leun.
  3. idade - 14.
  4. triggers - vômito, abuso psicológico/físico, pedofilia,
  5.  
  6. [staff foodtruck/bar/loja]
  7. aquele lá? ah, é o [ moon jaehwan ], sempre está por aqui. ele é [ atendente ] do [ la hermosa ]. fiquei sabendo que tem [ vinte e quatro ] anos, não parece. todo mundo diz que ele é igualzinho a [ yoon jeonghan ] mas eu não sei de onde veio isso, bem nada a ver. se quiser puxar um papo, vai com tudo, mas cuidado que ele é [ irritado e explosivo ], mas calma, também é [ cauteloso e esforçado ]. dá uma passadinha lá junto dele mais tarde, não vai se arrepender.
  8.  
  9. twitter - bldmoony.
  10.  
  11. headcanons -
  12.  
  13. Nascido numa família grandiosa e meio bagunçada demais, foi uma pessoa com poucas oportunidades na vida, considerando o dinheiro que a família tinha (ou o que não tinha). Via os pais poucas vezes durante a semana por trabalharem demais, sua tia literalmente só olhava ele e as irmãs brincarem quando eram pequenos e, por quase doze anos, nem sabia que seus avós existiam. Sua única companhia por anos fora suas irmãs mais velhas e a mais nova, embora elas não fossem lá muito legais. E, bem, seu pai era um alcoólatra descontrolado, ás vezes chegava em casa gritando no meio da noite e só sua mãe para acalmar aquela criatura que nem sabia mais se podia chamar de pai. Sua mãe era, no entanto, bastante doce, embora não fosse lá a melhor pessoa do mundo. Gostava quando ela estava em casa por sempre saber como fazê-lo ficar mais feliz, confortável.
  14.  
  15. Foi diagnosticado bem cedo com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, e, bem, aquilo não mudou muito na sua vida. Era uma criança, nem sabia o que diabos era um transtorno. Porém, podia ter feito alguma mudança, se seus pais quisessem. Mas, aparentemente, eles não queriam. Se recusaram a lhe tratar com medicamentos — “Vai prejudicar ele e não ajudar em nada!”, palavras de seu pai — e, embora tenha ido ao psicólogo por certo tempo, era imaturo e novo demais para levar isso á sério, sem contar que o próprio transtorno lhe impedia de fazê-lo. Por isso, seus pais logo o tiraram dos tratamentos e nunca mais tocaram no assunto, pareciam nem lembrar mais, considerando que sempre chamavam Jaehwan de “estúpido, lento, distraído, rebelde que não liga pra nada” e derivados sempre que tinham oportunidade, principalmente quando Jaehwan esquecia o que haviam acabado de lhe dizer, e obviamente não era porque “não ligava pra nada”, não.
  16.  
  17. Seus anos escolares foram bastante difíceis, digamos. Não porque seus professores não gostavam de si, ou porque tinha notas ruins, era porque, deuses, odiava demais os seus colegas. Não tinha amigos pelo simples fato de achar cada pessoa na sua sala completamente insuportável, tendo literalmente chorado de frustração algumas vezes por não aguentar todo o barulho e as brincadeiras cem por cento estúpidas de seus colegas. Sua única salvação, definitivamente, eram os professores. A maioria deles eram imensamente carinhosos consigo, por ser um dos poucos alunos inteligentes e disciplinados de sua turma. Sempre fazia questão de sentar perto dos professores para conversar com eles, ás vezes, pela proximidade que tinham, era convidado para, por exemplo, as festas de aniversário dos filhos deles. Chegava a ser louco na sua cabeça, até porque nunca tinha falado com os filhos da maioria deles e ainda sim estava por lá, com sua família fingindo serem completamente normais. Pelo menos, costumava se divertir e fazer amigos com gente da sua idade, mesmo que sempre tivesse o mesmo inferno na volta para casa e no dia seguinte, na escola.
  18.  
  19. Era e ainda é uma pessoa que não suporta ficar entediada. Precisa estar fazendo algo, e inclusive criou o hábito de andar e correr pela casa, falando consigo mesmo, sempre que não havia nada para entretê-lo, sendo um hábito que começou sem que nem reparasse e continua até hoje. Por conta da tamanha irritação que seus pais tinham com isso, acabaram arrumando coisas para Jaehwan fazer e parar de ficar pulando ás seis da manhã na casa que viviam: aulas de violão. Não tinham muita ideia do que queriam com isso, apenas queriam que o garoto passasse mais tempo fora de casa e quando estivesse lá, tivesse algo bom para fazer e que não os irritaria. O Moon mais novo criou bastante gosto por instrumentos musicais, não apenas o violão, por conta disso. Seu professor o elogiava bastante, comentando como parecia que sabia tocar desde o berço, e aquilo era, possivelmente, o maior incentivo de Jaehwan para continuar. Até seu pai gostava da sua música e ele nunca gosta de nada! Continuou tendo aulas de violão e, eventualmente, aprendeu a tocar piano e os básicos da guitarra.
  20.  
  21. Devido á forma que a impulsividade começou a afetá-lo durante a puberdade, criou “inimigos” nos últimos anos do fundamental que se seguiram, possivelmente, até hoje. Lembra-se bem de já ter apanhado de e batido em colegas seus por alguma simples irritação, além disso, pela terrível fama que criou na escola, ouvia comentários péssimos de si constantemente. Embora os casos não sejam muitos, eles o afetam intensamente, e foram, junto com todos os outros eventos terríveis de sua vida, a maior alavanca para Jaehwan se tornar um poço de ansiedade. No último ano de ensino médio, teve muitos problemas pela falta de atenção e o fato de nem mesmo conseguir realizar suas tarefas corretamente, devido á grande ansiedade que experimentava só de pensar em tudo que lhe aguardava na vida adulta. Tinha problemas demais para alguém da sua idade — palavras de sua irmã —, e definitivamente não sabia como lidar com eles á este ponto. Assim, não conseguiu passar para nenhuma das faculdades que queria, até porque nem tinha muita certeza do que queria e aquilo sempre martelava sua cabeça quando estudava e martelou com toda força enquanto fazia suas provas. Acabou tendo empregos pequenos conforme os anos, sendo atendente em lojas, cozinheiro ou garçom em alguns restaurantes, babá, funcionário de sorveteria, entre outras coisas bem simples. Bem… era o que dava pra fazer, né?
  22.  
  23. Viveu com ex-colegas de trabalho, compartilhando aluguel, por bastante tempo antes de decidir morar com sua irmã mais velha, Maeun. Seu emocional não melhorou muito, mas ao menos aprendeu a esconder melhor toda a tempestade que passava na sua cabeça (só se liberava quando estava no seu banheiro, chorando tudo que não deu pra chorar durante o dia, mas isso é segredo de estado). Até adotou uns gatos e umas plantas para lhe ajudar a ter literalmente qualquer ser vivo para dar afeto, embora os gatos fossem quase tão zangados quanto ele mesmo; talvez esse fosse o motivo para terem dado tão certo juntos, embora tenham dado mega errado com Maeun. No entanto, uma coisa, ou melhor, uma pessoa (ou duas) chegou para lhe causar mais estresse do que já tinha. Há quatro anos, sua irmã mais nova foi ao apartamento que vivia, sabe lá Deus como, com uma criança nos braços e com o pedido de que cuidasse dele pela noite que estaria fora. Na hora, pensou, ah, não vai ser tão difícil, só por uma noite. Mal sabia ele que Yoonhwa correria para fora da cidade e nunca mais voltaria. Acreditou que ela definitivamente não ia voltar depois de uma semana sumida, sendo que ninguém da família conseguia contato com ela. Assim, se viu obrigado a abrigar aquela criança consigo — era seu sobrinho, afinal. Porém, legalmente, a criança pertence à Maeun, mas é Jaehwan quem fica junto dele na maior parte do tempo, já que a mais velha não passa tanto tempo assim em casa.
  24.  
  25. Ano passado, Jaehwan pôde, finalmente, ingressar uma faculdade nessa loucura que chama de vida. Demorou bem mais do que esperava, mas conseguiu começar um curso de psicologia na Yonsei, e, embora viva tendo problemas por precisar passar ainda mais noites acordado, estudando e cuidando de Joonhwi, sente que é o mais feliz que já foi em toda sua vida. Não é muito, mas é o suficiente para se sentir melhor, pensando que, logo, logo, sua vida pode entrar nos eixos, finalmente. Ou talvez não, possivelmente não, mas prefere ignorar esse pessimismo… na maior parte do tempo.
  26.  
  27. como veio parar no emprego?
  28. Jaehwan tem, bem, meio que uma especialização em tudo (se ele estiver ganhando dinheiro por isso, ele faz literalmente qualquer coisa). Já tinha certo “domínio” sobre a “área de atender pessoas” em restaurantes e coisa do tipo, que para si era mais a área de “Não se irritar e fingir que é a pessoa mais simpática do mundo por umas horas”. Ok, ele até se irrita um pouquinho com uns clientes ás vezes, mas tem uns que são chatos demais, viu? Mas seu real interesse no emprego era o fato de poder ouvir as bandas tocarem enquanto estivessem trabalhando, e achava aquilo a parte mais incrível dele, também. Dá seu máximo para não ser um poço de chatice com os colegas de trabalho e os que trabalham nos outros foodtrucks, mas não diria que ele tá se dando muito bem nisso, não, olha. Mas ele promete de dedinho que está tentando.
RAW Paste Data
We use cookies for various purposes including analytics. By continuing to use Pastebin, you agree to our use of cookies as described in the Cookies Policy. OK, I Understand
Not a member of Pastebin yet?
Sign Up, it unlocks many cool features!
 
Top