SHARE
TWEET

Untitled

a guest Jan 24th, 2020 81 Never
Not a member of Pastebin yet? Sign Up, it unlocks many cool features!
  1. Em 1970, Brasil tinha uma ditadura mais repressiva que a da URSS, afirma estudo da CIA
  2. COMPARTILHAMENTO ESPECIAL
  3. COMPARTILHAMENTO ESPECIAL
  4. Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
  5. Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
  6.  
  7. Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
  8.  
  9. ASSINE
  10. ou
  11. FAÇA LOGIN
  12.  
  13.  
  14.  
  15. Tanques em Brasília, primeiro de abril de 1964. (Foto: Jornal do Senado)
  16. Fábio Marton
  17. Comentando sobre a ausência de questões no Enem sobre a ditadura militar, o ministro da Educação Abraham Weintraub afirmou hoje que é um tema “polêmico” e “não há pacificação sobre o que aconteceu”. Ele não explicitou qual é a polêmica exatamente, mas o fato é que a ditadura brasileira é tão “polêmica” para o resto do mundo quanto o Genocídio Armênio é “polêmico” fora da Turquia.
  18.  
  19. Vamos trazer um exemplo que não podia ser menos de esquerda: a CIA. Essa mesma, a Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos. A fonte pública da CIA afirma que o que, há 50 anos, o Brasil não só era uma ditadura, quanto extremamente repressiva. De fato, mais que a União Soviética ou Cuba na mesma época.
  20.  
  21. O diretor atual do Estudo explica por que, mas primeiro vamos ao estudo em si.
  22.  
  23. Usado pela agência e também referência para o próprio governo americano, o estudo Polity, atualmente na versão 4, teve início nos anos 1960, pelo trabalho do falecido cientista político Ted Robert Gurr (1936-2017), da Universidade de Maryland. Ele classifica o tipo de regime dos países do mundo. O trabalho de Gurr foi bancado pela CIA e a versão atual é feita pela ONG Center for Systemic Peace (“Centro para Paz Sistêmica”), criada e patrocinada pela Political Instability Task Force (“Força-tarefa da Instabilidade Política”), fundada também pela CIA, em 1994.
  24.  
  25. O Polity dá uma nota entre -10 e 10, de absoluta ditadura a absoluta democracia. Ou, pelos termos do estudo:  democracia (6-10), anocracia aberta (1-5), anocracia fechada (-1 a -5) e autocracia (-6 a -10). Anocracia querendo dizer um regime híbrido, nem democracia, nem ditadura total. Em sua última edição, cobrindo até 2013, o Brasil levava uma nota 8 e a Venezuela, 4.
  26.  
  27. Nos tempos da ditadura, entre o AI-2 e a abertura de Geisel, o Brasil tem uma nota -9. O que quer dizer autocracia absoluta, a mesma nota da União Soviética no fim do regime Stalin e da China durante a Revolução Cultural.
  28.  
  29. Gráfico Polity IV do Brasil
  30. O gráfico do Brasil mostra uma democracia em queda, a ditadura e a abertura (Reprodução)
  31. Na mesma época, a União Soviética levava -7:
  32.  
  33. Polity IV Russia
  34. O gráfico da Rússia mostra uma ligeira melhora após a morte de Stalin, em 1953 (Reprodução)
  35. Assim como Cuba:
  36.  
  37. Polity IV Cuba
  38. Relatório de Cuba mostra a ditadura atual e a anterior, de Fulgéncio Batista (Reprodução)
  39. Os únicos a ganhar -10 são a Coreia do Norte e o Haiti de Baby Doc Duvalier.
  40.  
  41. O Polity IV não conta mortes, mas a situação política de um país. E, em seu relatório, usa o termo “ditadura militar” para explicar o tipo de regime brasileiro, sem qualificação adicional. Monty G. Marshall, diretor atual do Centro para Paz Sistêmica, explica as razões para a nota tão baixa: “[O estudo] Polity não mede especificamente repressão, mas ele nota a coerção em determinar política pública ou limitar competição política. Em geral, ditaduras militares são semelhantes a Estados hegemônicos de partido único. Elas via de regra têm um sistema se auto-seleção para o Executivo ou autoridade designada para o Executivo”. A ditadura brasileira confirmava seus generais no Congresso, mas qual seria o “candidato” marcado para ganhar era escolhidos em decisão interna da cúpula militar. Quanto à comparação com a União Soviética, é a de uma ditadura ativa para uma que já havia sido pacificada. “O grau de repressão nas autocracias é uma função da intensidade do dissenso entre ativistas de oposição, no lugar de uma forma específica de autoridade executiva. Repressão sempre é aplicada por forças de seguranças leais em resposta a provocações reais ou percebidas. Autocracias podem evitar repressão aberta quando os elementos da sociedade civil se mantém obedientes ou inativos.”
  42.  
  43. Sobre a questão eleitoral da ditadura, a de que havia um sistema com um partido de oposição permitido e eleições regulares – geralmente levantada por seus apoiadores para negar seu status de ditadura – Monty diz que é irrelevante: “É a intenção do sistema de classificação Polity garantir que pseudo ‘democracias’recebam nota de acordo com suas práticas, não suas ‘fachadas’. Muitos regimes personalistas e de partido único tentam aumentar as percepções de legitimidade por procedimentos eleitorais que são controlados pelo regime. Desde a queda do comunismo soviético, essas ‘fachadas democráticas’ foram entendidas por autocratas como uma farsa necessária para abrandar a crítica internacional. Mas essa expectativa de penduricalhos democráticos parece estar retrocedendo em anos recentes.”
RAW Paste Data
We use cookies for various purposes including analytics. By continuing to use Pastebin, you agree to our use of cookies as described in the Cookies Policy. OK, I Understand
Top