SHARE
TWEET

Arquivos para aula de Rmarkdown

StevenDATAUNIRIO Sep 17th, 2019 110 Never
Not a member of Pastebin yet? Sign Up, it unlocks many cool features!
  1. POEMA EM LINHA RETA
  2.  
  3. Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
  4. Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.
  5.  
  6. E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
  7. Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
  8. Indesculpavelmente sujo,
  9. Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
  10. Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
  11. Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das
  12. etiquetas,
  13. Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
  14. Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
  15. Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
  16. Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
  17. Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
  18. Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
  19. Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
  20. Para fora da possibilidade do soco;
  21. Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
  22. Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.
  23.  
  24. Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
  25. Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
  26. Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...
  27.  
  28. Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
  29. Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
  30. Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
  31. Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
  32. Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
  33. Ó príncipes, meus irmãos,
  34.  
  35. Arre, estou farto de semideuses!
  36. Onde é que há gente no mundo?
  37.  
  38. Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?
  39.  
  40. Poderão as mulheres não os terem amado,
  41. Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
  42. E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
  43. Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
  44. Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
  45. Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.
  46.  
  47. Lisbon Revisited (1923)
  48.  
  49. NÃO: Não quero nada.
  50. Já disse que não quero nada.
  51.  
  52. Não me venham com conclusões!
  53. A única conclusão é morrer.
  54.  
  55. Não me tragam estéticas!
  56. Não me falem em moral!
  57.  
  58. Tirem-me daqui a metafísica!
  59. Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas
  60. Das ciências (das ciências, Deus meu, das ciências!)
  61. Das ciências, das artes, da civilização moderna!
  62.  
  63. Que mal fiz eu aos deuses todos?
  64.  
  65. Se têm a verdade, guardem-na!
  66.  
  67. Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica.
  68. Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo.
  69. Com todo o direito a sê-lo, ouviram?
  70.  
  71. Não me macem, por amor de Deus!
  72.  
  73. Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?
  74. Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?
  75. Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
  76. Assim, como sou, tenham paciência!
  77. Vão para o diabo sem mim,
  78. Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!
  79. Para que havemos de ir juntos?
  80.  
  81. Não me peguem no braço!
  82. Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho.
  83. Já disse que sou sozinho!
  84. Ah, que maçada quererem que eu seja da companhia!
  85.  
  86. Ó céu azul — o mesmo da minha infância —
  87. Eterna verdade vazia e perfeita!
  88. Ó macio Tejo ancestral e mudo,
  89. Pequena verdade onde o céu se reflete!
  90. Ó mágoa revisitada, Lisboa de outrora de hoje!
  91. Nada me dais, nada me tirais, nada sois que eu me sinta.
  92.  
  93. Deixem-me em paz! Não tardo, que eu nunca tardo...
  94. E enquanto tarda o Abismo e o Silêncio quero estar sozinho!
  95.  
  96. #-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
  97.  
  98. Álgebra Matricial no R
  99. Multiplicação por escalar no R
  100.  
  101. $$
  102. k*
  103. \begin{bmatrix}
  104. a & b \\
  105. c & d \\
  106. \end{bmatrix}
  107. =
  108. \begin{bmatrix}
  109. ka & kb \\
  110. kc & kd \\
  111. \end{bmatrix}
  112. $$
  113.  
  114. M1 = matrix(c(2,2,3,4,5,6,7,8,9), nrow = 3)
  115. M2 = matrix(c(10,11,12,13,14,15,16,17,18), nrow = 3)
  116. M_prod_escalar = 31 * M1
  117. print(M_prod_escalar)
  118.  
  119. Transposta
  120. $$
  121. \begin{bmatrix}
  122. a & b \\
  123. c & d \\
  124. \end{bmatrix}^t
  125. =
  126. \begin{bmatrix}
  127. a & c \\
  128. b & d \\
  129. \end{bmatrix}
  130. $$
  131.  
  132. M_transp = t(M1)
  133. print(M_transp)
  134. #-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
  135.  
  136. #  Carregar o banco de dados
  137. UF <- read_csv2("https://raw.githubusercontent.com/DATAUNIRIO/Base_de_dados/master/Estados.csv")
  138.  
  139. # uma visualizacao simples
  140. hist(UF$IDH)
  141.  
  142. #-------------------------------------------------------------
  143. # instalar os pacotes necessarios
  144. pacotes<-c("geobr", "ggplot2", "sf", "dplyr", "tmap")
  145. install.packages(pacotes)
  146.  
  147. # Careggar os pacotes
  148. library(geobr)
  149. library(ggplot2)
  150. library(sf)
  151. library(dplyr)
  152. library(tmap)
  153.  
  154. # Criar a variavel "code_state"
  155. UF$code_state <- UF$Codigo
  156.  
  157. # Baixar o mapa
  158. state <- read_state(code_state="all", year=2018)
  159.  
  160. ## Juntar mapa com a base de dadosa
  161. brasil <- left_join(state,UF,by="code_state")
  162.  
  163. # Mapa 1 (via tmap)
  164. tm_shape(brasil) + tm_fill("IDH", style="jenks") +
  165.   tm_borders() + tm_layout(frame=F)
  166.  
  167. # Mapa 2 (via ggplot)
  168. ggplot() +
  169.   geom_sf(data=brasil, aes(fill=as.numeric(IDH)), color= NA, size=.15) +
  170.   labs(subtitle="Indice de Desenvolvimento Humando IDH, \n Estados Brasileiros, 2010", size=8) +
  171.   scale_fill_distiller(palette = "Blues", name="IDH", limits = c(0.6,0.83)) +
  172.   theme_minimal()
RAW Paste Data
We use cookies for various purposes including analytics. By continuing to use Pastebin, you agree to our use of cookies as described in the Cookies Policy. OK, I Understand
 
Top