SHARE
TWEET

GT da luiz

Levyzinfofokkk Oct 17th, 2019 92 Never
Not a member of Pastebin yet? Sign Up, it unlocks many cool features!
  1. ```Gt da Luíza
  2.  
  3. >podem me chamar de Lorenzo
  4. >tenho 18 anos
  5. >sou um completo fudido
  6. >recém terminado ensino médio
  7. >nada funciona mais em minha vida
  8. >perdi meus avós em um acidente
  9. >mas sempre me ficou marcado uma frase que ele me dizia
  10. >"Lute pelo amor e morra feliz ou não lute e morra no fracasso"
  11. >ficou marcado pois eu sempre fui apaixonado por uma mina
  12. >podemos chama-lá de Luíza
  13. >porém ela era linda
  14. >sempre teve bons gostos musicais
  15. >um castanho claro
  16. >aqueles olhos castanhos
  17. >aquela ternura que tinha em falar
  18. >nem se comprava comigo
  19. >eu já tava sem espectativa de vida
  20. >já nada funcionava na minha vida
  21. >meus pais já morreram a alguns anos
  22. >eu não tenho mais ninguém
  23. >por sorte eu tenho uma poupança separada da faculdade
  24. >ainda consigo me sustentar por algum tempo
  25. >saindo do velório dos meus avós
  26. >recuso carona dos meus tios
  27. >vou chorando a caminho do metrô
  28. >vontade de sair sem rumo
  29. >até que eu sento
  30. >fico em posição de choro com os pés no banco com a cabeça no joelho
  31. >até que sinto uma mão leve em minhas costas
  32. >"Lorenzo? Você ta bem?
  33. >adivinha quem era?
  34. >sim meu caro leitor
  35. >o meu amor está aqui
  36. >me olhando com aqueles olhos castanhos
  37. >meu coração se acalma
  38. >a alma se esfria
  39. >e o meu choro para
  40. >Comovida com minha situação ela me pergunta
  41. >"tudo bem?"
  42. >digo que nao, mas vai passar
  43. >ela se senta no banco comigo
  44. >para onde vai ela diz
  45. >e eu respondo que vou pra casa minha casa
  46. >e respondo perguntando aonde ela vai
  47. >ela me responde dizendo que também ia pra casa porém morava longe
  48. >eu digo a ela passando do meu ponto de parada que levarei ela até em casa
  49. >afinal, jamais devemos deixar uma mulher andando sozinha nesse país violento
  50. >depois de 1 hora e meia trocando uma ideia
  51. >conseguimos chegar na casa dela
  52. >ja no portão eu pergunto a ela aonde estão seus pais
  53. >ela enche o olho de lágrimas e eu lhe abraço
  54. >ela diz que o pai dela morreu a pouco tempo
  55. >mas sua mãe está dormindo
  56. >digo que tenho que deixar ela e ir pra casa
  57. >levo a mão no bolso e não consigo achar minha carteira
  58. >fico preocupado
  59. >ela me pergunta antes de entrar se tenho algum problema
  60. >respondo que perdi minha carteira com dinheiro, passagem e documentos
  61. >ela diz que eu posso dormir na casa dela já que moro longe
  62. >eu digo que vou aceitar, mas não gosto de dormir na casa dos outros
  63. >ela me chama pra dormir no quarto dela
  64. >já que se eu dormisse na sala poderia assustar a Mãe dela
  65. >acabo aceitando
  66. >pego um colchão e arrumo por ali no chão
  67. >já deitado
  68. >conversa vai, conversa vem
  69. >eu pergunto qual o segredo da beleza
  70. >ela solta um riso
  71. >e diz que a beleza existe dentro de cada um
  72. >foi aí que eu me apaixonei
  73. >mas não pela aparência
  74. >é daquelas paixões que você se apaixona até no modo de pensar da pessoa
  75. >quando você a amar as qualidades e os defeitos
  76. >me despeço e vou dormir
  77. >eu sou acostumado a acordar de madrugada pra beber água
  78. >vou lá né
  79. >derrepente sou surpreendido com uma paulada na cabeça e Caio ao chão desacordado
  80. >adivinha quem era? Isso mesmo
  81. >a mãe da Luiza
  82. >vamos chama de Eloísa
  83. >a Eloísa vai correndo ao quarto e chama Luiza dizendo que tem um ladrão na cozinha
  84. >e acaba percebendo um colchão vazio ao lado da cama
  85. >Luiza grita
  86. >CADE O LORENZO
  87. >elas correm até a cozinha
  88. >até que a Luiza me vê deitado ao chão
  89. >"mãe você mato o Lorenzo"
  90. >e a mãe dela segurando um taco de baseball na mão foi a coisa mais engraçada que eu poderia ter visto
  91. >acordo rindo muito do taco na mão dela
  92. >olho pra Luiza toda preocupada
  93. >eu digo que estou bem
  94. >a mãe dela pede desculpas pela paulada
  95. >mas diz que não podia imaginar
  96. >eu digo que está tudo bem e que vou explicar
  97. >digo a ela que voltava de um velório dos meus avós
  98. >ate que a Luiza me achou e eu à trouxe pra casa e no caminho perdi a carteira
  99. >aí a Luiza me convidou pra dormir e amanhã a gente resolvia
  100. >aí eu levantei pra tomar água
  101. >até que eu ouço a coisa mais linda da minha história
  102. >a mãe dela pergunta se somos namorados
  103. >eu já estava pra falar que não
  104. >ate que curiosamente a Luiza diz com um sorriso no rosto
  105. >que somos bons amigos
  106. >eu só conseguia sorrir
  107. >depois de anos eu voltava a sorrir várias vezes com a mesma pessoa
  108. >eu digo que a gente terminava a conversa com a mãe dela pela manhã, eu ainda estava indisposto
  109. >e agora com dor de cabeça
  110. >ja no quarto deitado
  111. >começamos a rir
  112. >e com aquele momento contagiante
  113. >percebo que a cada hora que passa eu estava com a mulher da minha vida
  114. >depois de uma longa crise de riso voltamos a dormir
  115. >logo pela manhã eu acordo e levanto
  116. >fico olhando parado para ela
  117. >admirando sua beleza
  118. >até que ela acorda e me vê estático
  119. >e me solta um sorriso
  120. >digo um "Bom dia Princesa"
  121. >e ela me responde me chamando de príncipe
  122. >seria ali um sinal verde?
  123. >vou até a cozinha e como eu gosto de cozinhar
  124. >faço o café da manhã e sirvo a mesa
  125. >até que minha futura sogra acorda e se junta à mesa
  126. >papo vai papo vem
  127. >até que a mãe dela solta a frase
  128. >"vocês dariam um belo casal"
  129. >*a mesa fica em silêncio*
  130. >e Luiza congela olhando pra mim com um sorriso
  131. >e em meio ao nervosismo
  132. >que faz nosso corpo agir sozinho
  133. >eu acabo dizendo
  134. >"Só depende dela"
  135. >eu me via em uma situação linda e ao mesmo tempo constrangedora
  136. >até que ela se levanta e vem até mim
  137. >eu me levanto
  138. >Luiza me beija
  139. >mas não foi um beijo como tantos outros
  140. >parecia que esse tinha um sabor especial
  141. >você sabe que é ela meu parceiro
  142. >quando amolece seu coração e endurece seu pau
  143. >e quando saímos do beijo
  144. >só conseguia ouvir os gritos de felicidade de minha nova sogra
  145. >conversamos todos nós por alguns minutos
  146. >e eu digo que tinha que retornar pra casa
  147. >como tinha perdido minha carteira
  148. >peço um dinheiro emprestado pro metrô
  149. >e vou me embora depois de uma boa dose de felicidade
  150. >até que ando 5 metros do portão
  151. >caído ali do lado de uma mangueira
  152. >minha carteira
  153. >Coloco um sorriso 10 vezes maior do que já estava
  154. >e volto na casa do meu amor
  155. >e lhe devolvo o dinheiro
  156. >e volto pra minha casa
  157. >de volta para as responsabilidades
  158. >mas eu não conseguia enxergar aquele clima ruim que eu via ontem
  159. >consigo enxergar um mundo mais colorido
  160. >percebo que minha vida não tinha acabado
  161. >e vejo que o mundo não é só o que tenho em casa
  162. >só não achamos nosso mundo ainda
  163. >decido que preciso procurar um emprego
  164. >já andando pela cidade
  165. >vejo de longe uma placa
  166. >precisando de designers
  167. >uma nova gráfica sairia na cidade
  168. >eu lembro que fiz curso de designer gráfico
  169. >e levo um currículo pra fazer teste
  170. >eles me disseram para esperar
  171. >eu digo que estarei no aguardo
  172. >e me pedem pra fazer a logo da nova empresa
  173. >até que eu consigo fazer uma boa logotipo
  174. >consigo o emprego
  175. >minha vida tava parecendo uma montanha russa de emoções
  176. >preciso dizer isso pra minha nova namorada
  177. >voltando pra casa
  178. >eu ligo pra ela
  179. >digo as novidades
  180. >e ouço minha sogra gritando feliz por mim
  181. >chego em casa
  182. >e digo pra mim que vou me formar em direito
  183. >vou ser um bom advogado no futuro
  184. >sei que vou precisar ralar muito
  185. >e eu lembro que preciso comprar um anel pra minha mina
  186. >vou no banco e retiro dinheiro da minha conta da faculdade
  187. >e consigo comprar um anel de compromisso
  188. >o mais lindo que eu achei na loja
  189. >e acho que vou pedir em namoro no colégio
  190. >já que ela ainda estuda
  191. >hoje é domingo
  192. >vou comprar um buquê logo cedo e peço na hora de saída
  193. >eu como sou ansioso
  194. >nem durmo a noite
  195. >mas o dia chega
  196. >corro comprar um buquê de rosas vermelhas
  197. >e vou pro colégio
  198. >fim de aula
  199. >la vem ela
  200. >abre um sorriso quando me vê
  201. >não sou bom com palavras e apenas digo
  202. >"Quer namorar comigo, meu amor?"
  203. >meus amigos
  204. >a sensação da mulher que você ama dizendo sim
  205. >é a mesma do seu time preferido ganhando um mundial
  206. >de você ganhando uma partida contra um hack
  207. >dando soco em comunista
  208. >ou seja
  209. >que sensação meus amigos
  210. >coloco o anel em seu dedo
  211. >e à levo em casa
  212. >a sogra não estava em casa
  213. >e ela me chama pra entrar
  214. >me leva para o quarto
  215. >e ela me beija
  216. >tirando minha roupa
  217. >o clima vai esquentando
  218. >vou tirar a roupa dela
  219. >retiro sua regata preta
  220. >e vou para o shorts
  221. >so que um leve problema
  222. >me enrosco e não consigo tirar aquela merda com 4 botões
  223. >e ela começa a rir
  224. >até que alguma coisa abre a porta
  225. >era a mãe dela
  226. >que sai correndo envergonhada
  227. >mais que nós ainda
  228. >saímos do quarto
  229. >Luiza mostra feliz para a mãe dela toda feliz seu dedo com um anel de compromisso
  230. >as duas gritam
  231. >e nós 3 se abraçamos e mais uma vez eu tinha uma figura materna pra me dar exemplo
  232. >1 ano se passa
  233. >nesse tempo consigo passar em uma faculdade de direito
  234. >e acabo de ser aprovado pra um estágio em primeiro lugar
  235. >compro pizza e refrigerantes pra comemorar
  236. >mas a sogrinha disse que tinha um namorado pra conhecer
  237. >que a noite era nossa
  238. >depois que ela saí
  239. >vamos começar a fazer o amor
  240. >se é que você me entende
  241. >dessa vez não tinha aquela porcaria de shorts
  242. >que noite meus amigos
  243. >eu acordo bobo olhando pra ela
  244. >como se fosse a primeira vez
  245. >e tudo segue
  246. >após 6 meses eu pensei em me casar
  247. >porém eu queria só no cartório para juntar dinheiro pra uma festa no futuro
  248. >converso com ela e aceita numa boa
  249. >dia seguinte
  250. >acordo ansioso pra ir ao cartório e lembro que eu tinha que mandar um email
  251. >pego o Not da Luiza mesmo e tava indo
  252. >até que vejo o email que me deixou homem de verdade
  253. >eu seria pai de menina
  254. >nada podia contagiar minha felicidade
  255. >mas resolvi não falar nada e esperar até onde isso ia dar
  256. >já no cartório assinamos tudo
  257. >finalmente casados
  258. >mas ali aconteceria a pior tragédia da minha vida
  259. >saindo do cartório fomos assaltados
  260. >ele pediu dinheiro, mas não tínhamos muita coisa
  261. >até que ele apontou a arma pra Luiza
  262. >e o homem de verdade jamais deixaria sua mulher sob a mira de alguém
  263. >fui pra cima dele
  264. >até que ouço um barulho estrondoso e algo queimando minha pele
  265. >e minha esposa chorando
  266. >me dizendo que precisa de mim e que está grávida
  267. >eu puxo ela pra perto de mim e digo
  268. >amor, tenho outra mulher
  269. >ela me olha sem reação
  270. >e eu digo
  271. >"Ela ainda vai te dizer, te amo mamãe"
  272. >Eu amo você Lui...
  273. >e foi aí que eu percebi que a frase do meu vô
  274. >acabou fazendo sentido
  275. >eu lutei e morri feliz
  276. >então meus galegos, não se mantenham no fracasso
  277. >lutem pelo amor de vocês```
RAW Paste Data
We use cookies for various purposes including analytics. By continuing to use Pastebin, you agree to our use of cookies as described in the Cookies Policy. OK, I Understand
 
Top